Projeto Reativar


O Projeto Reativar pretende reforçar o trabalho desenvolvido pela AFMP nos Concelhos de Montemor-o-Velho e Figueira da Foz no âmbito da Promoção da Igualdade de Género e Prevenção da Violência Doméstica e de Género. Écofinanciado pelo POISE, Tipologia 3.16 gerida pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

Indo ao encontro da estratégia nacional sistematizada nos Planos V Nacionais para a Igualdade de Género, Cidadania e Não Discriminação e de Prevenção e Combate à Violência Doméstica e de Género é proposta uma intervenção baseada no desenvolvimento de respostas locais que, pela sua proximidade permitam a alteração de comportamentos e atitudes fortemente enraizadas e promotoras da desigualdade de oportunidades.

Responde assim às necessidades locais e ao reconhecimento das instituições parceiras da premência da continuidade do trabalho realizado pela Instituição, nomeadamente ao nível do/da:

- Gabinete de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica;

- Coordenação e Dinamização da Rede Local de Intervenção no âmbito da Violência em Montemor-o-Velho que reúne em torno da temática da violência doméstica: os Serviços do Ministério Publico, as Forças de Segurança, a Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, a Autarquia, a Saúde, a Segurança Social e a sociedade civil organizada através da AFMP;

- Participação na Rede Interinstitucional de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica da Figueira da Foz - RIAVD;

- Implementação de Programas de Promoção da Igualdade de Género e Prevenção da Violência de Género em meio Escolar (Pré-escolar, 3º Ciclo do Ensino Básico e Secundário), com destaque para o Programa de Intervenção - Jovens em Ação Interpares, desenvolvido na EB 2/3 da Carapinheira;

- Desenvolvimento de Competências Organizacionais e Profissionais para o atendimento e acompanhamento de vítimas especialmente vulneráveis, bem como no âmbito da avaliação do risco e na prevenção do tráfico de seres humanos;

- Idealização e implementação de Campanhas de Sensibilização, dando especial atenção às seguintes:

  • a veiculação de novas feminilidades e masculinidades;
  • a divulgação de boas práticas para a conciliação vida familiar e profissional;
  • a prevenção da violência de género e da homofobia;
  • e promoção da parentalidade positiva.